RSS

CORRUPÇÃO MAL RESOLVIDA

03 dez
A vida está sempre a nos testar para avaliar, aquilatar, nossos limites. Há coisas que temos que podar pelas raízes, antes que cresçam para que depois não tenhamos que lamentar suas conseqüências, a paixão é uma delas.
Não uma paixão qualquer, mas daquelas arrebatadoras, que quando não matam esfolam. Essa tem-se que afastar, antes que crie raízes e que se torne indomável.
O nosso leitor pode pensar que incorporamos o espírito de algum escriba já falecido, que escrevia amenidades ou estamos seguindo as trilhas de Danusa Leão, que por sinal, volta-e-meia, arrisca-se pelos labirintos da política. Se ela pode enveredar-se por um campo que não é dela, acreditamos que podemos também percorrer os labirintos da paixão, pois escrever coisas que gosta-se de ler, não é exclusividade de ninguém.
Esse preâmbulo vem a propósito de um depoimento que fazia o senador Artur Virgilio (PSDB/AM) em aparte ao cearense Carlos Jereissate (PSDB/CE), que discursava sobre o ENEM, cujas provas estranhamente vazaram, ocasionando o cancelamento das mesmas e um prejuízo aos cofres públicos de cento e quarenta milhões de reais.
Aqui um fato curioso. Sempre que o governo Lula cogita alocar verbas para uma situação emergencial, como foi a enigmática gripe suína e agora as novas provas do ENEM, o montante é sempre o mesmo: cabalísticos cento e quarenta milhões de reais.
Bem verdade que a gripe suína, que matou bem menos gente que o trânsito da capital de São Paulo mata em um ano, exigiu verbas complementares de três bilhões de reais, mais que suficientes para autorizarem a abertura de um rigoroso inquérito para apurar a lisura das contas do Ministério da Saúde. Mas, é uma outra história.
Dizia o político amazonense, que na época do episódio do “mensalão”, que na verdade era um propinoduto intermediado pelo mineiro Marcos Valério, para compra de apoio de deputados ao governo Lula, com a participação de toda a cúpula do Partido dos Trabalhadores, a oposição perdeu uma grande e única oportunidade para buscar o impeachment do presidente. Calculava ela, oposição, que um processo destes poderia causar uma crise institucional no país. E talvez causasse.
Mas crise institucional, é um risco do qual o país não está livre, pois os vícios de antes estão presentes agora e não são só maiores, mas também piores e à medida que vamos postergando as tomadas de atitude, a coisa vai chegar a um ponto em que a corrupção estará tão avassaladora que o Estado não conseguirá atender as demandas da população, o que poderá gerar crises sem precedentes.
A situação institucional do Brasil é muito séria e para curá-la meios-remédios não bastam.
Quando a Constituição “cidadã” de 88 foi idealizada, Ulisses Guimarães político matreiro e velho conhecedor do Poder Legislativo, deu ao Executivo poderes ilimitados, até ditatoriais, que geraram distorções como as que vemos diuturnamente.
Entretanto, o velho político do PSD não se esqueceu do Legislativo, de quem o Executivo tornou-se refém na aprovação de projetos de seu interesse e na rejeição de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI’s), que poderia trazer constrangimentos às hostes governistas. Como a CPI da Petrobras por exemplo.
Como somente as nomeações e a liberação de verbas não bastam para apaziguar dissidências, surgem os mensalões e quetais, que nunca deixarão de existir. Apenas sofisticam-se, mudam de feição, profissionalizam-se, mas são os mesmos, causando inveja ao “modus operandi” de Marcos Valério. Cabe às oposições, ao invés de ficar lamentando-se, rastrear os dutos por onde circula o dinheiro da corrupção.
Corrupção é que nem paixão sempre vai existir, dependendo de nós para extirpá-la no nascedouro. Não se pode deixá-la tomar conta, senão chega, apropria-se e quando vai-se reagir é tarde demais.
Luiz Bosco Sardinha Machado

a leitora opina

A corrupção só poderá ser combatida efetivamente quando o sistema for o alvo das mudanças.
Não basta elegermos uma pessoa honesta e de boas intenções, pois esta ao se deparar com o sistema de hoje (contratação de apadrinhados, barganha por interesses, poderes através das verbas diretas aos gabinetes etc… ) acaba inebriada pelo poder e fatalmente entrará no esquema.
A nossa luta deve ser para as reformas.
Sabemos que a oposição hoje no nosso país é a mídia e mesmo assim quando noticia um fato escandaloso (ex. passagens áreas gastas a revelia) não vejo nenhum repórter abordando alguém eleito pelo povo indagando o que ele fará para mudar aquela situação. O que vemos são eleitos se justificando, que não sabiam, que devolverá o dinheiro, que não mais agirá daquela maneira.
O que precisamos é mudar a abordagem. Muito bem foi detectado o fato, o que o Senhor Parlamentar fará para que isto não mais ocorra?
Caso contrário, continuaremos apagar incêndios com um método de extinção que mantém a temperatura da brasa, propiciando o surgimento das chamas a qualquer momento e muitas vezes com maior vigor.
Um abraço.
Rosmeire, São José do Rio Preto, SP

————————————–



ACHO QUE ISTO NAO VAI SER REVERTIDO, NAO.



SO COMECANDO UM NOVO MODELO, A PARTIR DO CAOS TOTAL PROMOVIDO, NAO


NECESSARIAMENTE, POR INICIATIVA DOS HUMANOS…


Um abracao Schess
 
Deixe um comentário

Publicado por em dezembro 3, 2009 em Uncategorized

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: