RSS

ÚLTIMO AVISO*

14 fev


(Dedicado às pessoas cujas casas serão desapropriadas
para darem lugar ao Projeto Masterplan)
            Atenção, pessoal! Amanhã será o último dia que vocês poderão morar neste espaço”.
            A voz do advogado, um elegante e imponente cágado, soou austera para aqueles moradores.
            “Meu Deus, para onde eu irei?”, perguntou indignada uma minhoca encostada a uma folha.
            “Vire-se”, respondeu-lhe o girassol com ares de desdenho: “Eu estou feliz. Terei a oportunidade de mostrar, em outro local, minha beleza e formosura”.

            Num choro inconsolável, a minhoca murmurou aos ouvidos do coelho:
            “Não conseguirei viver longe daqui. Nasci aqui e sempre vivi neste pedacinho de terra. Para mim esta terra é tudo”.
            A borboleta, exibindo incríveis vôos rasantes, tentou consolar a minhoca, dirigindo a ela palavras de conforto.
            “A gente se acostuma a tudo. Tente achar um outro pedaço de terra onde você possa viver”.
            “Não consigo. Minha vida está aqui, nesta terra. Nunca conseguirei viver em outro local. Tenho certeza!”
            A conversa corria solta quando dr. Cágado pediu silêncio para encerrar a reunião.
            “Amanhã todos vocês já deverão estar em outro espaço. Aqui será construída a Disneylândia goiana – um dos maiores parques de diversões do País. O maior do Centro-Oeste, com toda certeza. Para dar lugar a parte desse projeto grandioso, denominado Masterplan, vamos derrubar casas. No lugar delas será construído um grande estacionamento. Necessitamos de rapidez para ter acesso à verba de R$ 55 milhões do Ministério do Turismo, do governo federal. Não temos tempo para pensar se vamos penalizar a história de vidas ou apagar uma parte da memória de Goiânia”.  
            Debaixo de muito sofrimento, a minhoca viu as flores, fácil, fácil, conseguirem se mudar, assim como as borboletas e os caracóis. Entretanto, ela tentava, de todas as formas, continuar se abrigando por ali mesmo.
            A retirada dos escombros estava sendo feita e despertava grande aflição na minhoca, que não perdia um só movimento dos técnicos e das máquinas. Com significativo esforço, tentava dominar o cansaço. Vencida pelo sono, encostou-se a um cantinho e dormiu. Dormiu e sonhou que morava em um jardim bonito, onde borboletas multicoloridas dançavam alegremente em volta das flores. E ela, a minhoca, passeava tranquilamente.
                                                                   * Iracema Dantas – escritora de histórias infantis

 
Deixe um comentário

Publicado por em fevereiro 14, 2010 em Uncategorized

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: