RSS

DEBATE SOBRE A DEMOCRACIA – TOM CAPRI

09 jun
Críticas ferozes e

inteligentes à

minha suposta crítica à democracia
Dedicado a Daniel Piza, aqui citado, e a Denis Rosenfield. Os dois ainda ignoram, mas têm todos os predicados para chegar à consciência.
Criticam-me por suposta crítica que teria feito à democracia em meu recente artigo “A verdade sobre a democracia”. Absolutamente, não critico a democracia. O que fiz foi inaugurar no País debate sobre a democracia, visando unicamente a mostrar o que ela cientificamente é, sem imputar juízo de valor. Ou seja, visando a mostrar a verdade sobre a democracia, que poucos conhecem. Veio então uma enxurrada de críticas ao meu texto, muitas pobres, outras pertinentes. Selecionei as mais ferozes e inteligentes. Se elas e minhas respostas ainda não fecham a questão, de qualquer forma vão permitir que você conheça as verdades sobre a democracia. Aí vão, com minhas respostas.

Leitor – Tente um psiquiatra para arrumar um cérebro que passou por lavagem.
Minha resposta – Eu passei por lavagem? Será? Já disse que não condeno nem critico a democracia, apenas levanto o que ela de fato é. Portanto, não opinei, apenas divulguei achados científicos sobre a democracia. E isto não é lavagem. Que culpa tenho eu se a força da gravidade ainda regula o Universo, a Terra gira ao redor do Sol e a democracia é o que eu disse no meu artigo?
Lamentavelmente, a democracia é — como mostrei no texto e já está provado cientificamente — o maior e o pior dos autoritarismos. Os maiores holocautos têm sido perpetrados pela democracia. As maiores violências e atrocidades são perpetradas pela democracia. O maior cerceamento às liberdades é perpetrado pela democracia. A maior violação aos direitos humanos mais sagrados é perpetrada pela democracia. E eu não posso ser responsabilizado por isso. Se você não acredita nestas verdades sobre a democracia ou me achou pouco convincente, procure investigar um pouquinho o que é de fato a democracia. Irá facilmente constatar que estou coberto de razão.
Aí, se as verdades que vier a descobrir não forem contra seus interesses, assuma-as. Jogue no lixo as noções equivocadas que você tem a respeito da democracia. Agora, se tais verdades vierem a esbarrar nos seus interesses, volte a vestir a máscara da mentira, como você sempre fez, sem o saber. Antes, você vestia a máscara da mentira sem ter a menor consciência de que a estava vestindo, o que é perdoável. Agora, se você vier a descobrir que são mesmo verdadeiras tais verdades sobre a democracia — e não aceitar nem assumir nenhuma delas —, aí será decisão consciente de sua parte, portanto, criminosa. Assumir conscientemente mentiras a respeito de algo tão relevante quanto a democracia é crime.
Leitor – Meu caro, você só está podendo escrever tudo isso devido à democracia.
Eu sei, é verdade, só pude escrever isto que está no meu artigo, a respeito da democracia, porque estou numa democracia e, também, porque a democracia, experiente e perspicaz, é a que mais cerceia a liberdade de expressão, só que sabe fazer isto muito bem, melhor do que em qualquer outro formato de sociedade. Estou tendo total liberdade de escrever o que escrevi por estar, você tem razão, numa democracia. Mas se o que eu disser começar a vingar e vier a atingir as pessoas, ou seja, se eu começar a me tornar uma ameaça efetiva, não tenha dúvida: a democracia, essa mesma que me permite escrever tudo isto agora, calar-me-á à bala, mesmo que eu não esteja inventando nada, esteja apenas sendo científico e dizendo as maiores verdades sobre a democracia. E não serei o primeiro nem o último a tomar uma bala em nome da democracia.

Nisto, a democracia é mais insidiosa e hedionda até que as piores ditaduras e as piores formas de autoritarismo. Nestas, já está explícito que você não pode falar. Na democracia, você pode falar à vontade, desde que não atinja nem seja ouvido. No momento em que você é ouvido, a democracia mostra sua cara e se torna mais violenta e violadora das liberdades e dos direitos humanos do que qualquer ditadura ou outra forma de autoritarismo. E, por favor, não tome isto como defesa minha das ditaduras nem de qualquer outra forma de autoritarismo, porque sou o ser humano mais contrário a elas que você jamais irá encontrar no Planeta. Fiquei contente por você ter-me lido. Mais ainda por se ter familiarizado com as verdades da democracia.
Leitor – Só um doente pode achar, em pleno século 21, que a democracia é uma mentira.
A democracia não é uma mentira. É real, aí está. Só que raros, você entre eles, sabem o que ela verdadeiramente é. A democracia é uma árvore seletiva, que dá diferentes tipos de frutos, a maioria deles nefastos e criminosos, embora ela seja responsável também pelo rápido avanço tecnológico da humanidade, principalmente nos três últimos séculos. Qualquer curso de sociologia chinfrim mostra que isto é verdade — a democracia como o pior dos autoritarismos —, apoiado em provas documentais e convincente argüição científica. O problema é que, para muitos — para a maioria, no Planeta, em especial para as classes dominantes —, é óbvio que as verdades sobre a democracia não interessam nem um pouco.
Leitor – Dê-me, então, um único exemplo que prova ser a democracia o pior dos autoritarismos.
Há mais críticas ferozes e inteligentes como esta contra meu texto sobre a democracia. Para vê-las, clique no link
 
Deixe um comentário

Publicado por em junho 9, 2010 em Uncategorized

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: