RSS

TJ/AM SUSPENDE AÇÃO CONTRA A PETROBRAS

14 ago
AGU consegue suspender ação que cobrava R$ 20 milhões da Petrobras

Do Jornal Industria & Comércio

A Advocacia-Geral da União obteve decisão favorável do Tribunal de Justiça do Amazonas no pedido para suspender uma execução contra a Petrobras, no valor de R$ 20 milhões. Os valores são decorrentes de empréstimo compulsório instituído com a criação da Petrobras em 1953.

O Tribunal de Justiça acolheu os argumentos propostos pela AGU e suspendeu os processos de execução e de cumprimento de sentença existentes contra a Petrobras. Analisando o caso, a relatora considerou que os títulos, emitidos na década de 50, já teriam atingido o prazo de 20 anos para resgate dos valores. Na decisão, a desembargadora concluiu que o prosseguimento da ação poderia causar dano de difícil reparação devido o alto valor da causa.
A Distribuidora Equatorial de Produtos de Petróleo Ltda. ajuizou, em 2003, Ação Rescisória para que fosse reconhecido direito de compensação de dívida de R$ 10 milhões cobrada pela Petrobras. A Justiça estadual acolheu o pedido e reconheceu que a empresa possuía um crédito de R$ 19.276.402,08, conforme títulos de obrigações que eram emitidos pela Petrobras em razão da Lei 2004/53, que criou a Sociedade Anônima. Com a lei, a União instituiu empréstimo compulsório para arrecadação de fundos destinados, na época, à recém-criada companhia de petróleo.


Desde 2005 a Petrobras vinha tentando modificar a decisão na Justiça, até então sem sucesso. Em 2009, a União ajuizou nova ação alegando que o objetivo seria apenas suspender a obrigação da execução e não rescisão do julgado.
Em defesa da Petrobras, a Procuradoria da União no Amazonas afirmou que houve, na apreciação dos requisitos apresentados pela empresa, violação do devido processo legal. Segundo afirmam, a União não foi corretamente intimada da decisão que negou inicialmente o pedido de antecipação de tutela. Os procuradores destacaram que a Justiça estadual não tem competência para julgar discussões que envolvam a Petrobras e a União, sendo de responsabilidade da Justiça federal.

 
Deixe um comentário

Publicado por em agosto 14, 2010 em Uncategorized

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: