RSS

>APOIO A UNIVERSIDADES DO RIO

17 maio

>

Apoio à Infraestrutura de Universidades Estaduais 


contempla 30 projetos

       
A diretoria da Fundação anunciou, como previsto, nesta quinta-feira, 12 de maio, a listagem dos 30 projetos contemplados no programa de Apoio à Implantação, Recuperação e Modernização da Infraestrutura para Pesquisa nas Universidades Estaduais do Rio de Janeiro. Os recursos financeiros destinados ao edital foram ampliados, passando de R$ 15 milhões para R$ 17,4 milhões, devido à demanda altamente qualificada. A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) foi a instituição que obteve a maior quantidade de projetos aprovados, 15; seguida pela Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), com dez; e pela Fundação Centro Universitário da Zona Oeste (Uezo), com cinco projetos aprovados.






O edital de apoio à infraestrutura para pesquisa das universidades do estado do Rio de Janeiro foi criado em 2009, por uma iniciativa da FAPERJ com o forte apoio dos gestores das universidades estaduais e da comunidade científica das três instituições estaduais, e chega agora à sua segunda edição.  De acordo com o diretor científico da FAPERJ, professor Jerson Lima, “tem sido um compromisso da FAPERJ contribuir para a recuperação e renovação da infraestrutura para pesquisa das instituições sediadas no estado do Rio de Janeiro, de forma a aumentar a participação do nosso Estado na produção científica nacional”. Jerson Lima ainda destaca que “o governo federal tem aportado um significativo volume de recursos para as Instituições Federais de Ensino e Pesquisa, o que, certamente, deve ser aplaudido. Assim, no âmbito estadual, cabe à FAPERJ propiciar o aporte de recursos financeiros para que o mesmo ocorra com as universidades estaduais. Claro que a recuperação da infraestrutura não se dá rapidamente, mas temos que possibilitar, num curto espaço de tempo, o engrandecimento de nossas universidades estaduais.” E acrescentou: “Nossas universidades estaduais não contavam, até bem pouco tempo, com nenhum programa de pós-graduação stricto sensu avaliado com conceito 7, pela Capes. Somente na última avaliação trienal (2007 a 2009) é que a Uerj, por exemplo, passou a ter seu primeiro curso com conceito máximo, o Programa de Pós-Graduação em Educação. A FAPERJ muito se orgulha de ter, de alguma forma, contribuído para esse objetivo, fruto do esforço de pesquisadores e pós-graduandos daquela instituição.”

Inspirado na programa CT-Infra, da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), o programa estadual é destinado a financiar a aquisição e manutenção de equipamentos, e a execução de obras de infraestrutura previstas em projetos de caráter multidisciplinar e escopo multiusuário apresentados por pesquisadores vinculados às universidades estaduais do Rio de Janeiro – Uerj, Uenf ou Uezo –, que impulsionem a criação de novas perspectivas para as instituições. De acordo com o edital, os projetos apresentados deveriam ter a anuência do dirigente máximo de cada instituição. Até o término da submissão de propostas, em 14 de abril, foram contabilizados 55 projetos pelo sistema inFAPERJ, totalizando R$ 66,8 milhões de demanda das três universidades estaduais.

Os recursos alocados para este edital estavam limitados à aplicação de acordo com a natureza da despesa, sendo 90% para despesas de capital e os demais 10% para aplicação em despesas de custeio, conforme estabelecido no classificador de receita e despesa do estado do Rio de Janeiro.

A lista de projetos aprovados, por área, apresentou a seguinte distribuição de recursos: Ciências Agrárias, R$ 1,7 milhão; Ciências Biológicas, R$ 4,8 milhões; Ciências da Saúde,  R$ 2,6 milhões; Ciências Exatas e da Terra, R$ 3 milhões; Ciências Humanas, R$ 934 mil; Engenharias, R$ 3,2 milhões; e Linguística Letras e Artes, R$ 569 mil concedidos. Ainda que os recursos disponibilizados para o edital tenham sido ampliados, o comitê de avaliação indicou a necessidade de readequação orçamentária para muitos dos projetos contemplados, haja vista o objetivo do edital, a disponibilidade financeira e a natureza de despesas permitidas.

O diretor presidente da Fundação, Ruy Garcia Marques ressaltou: “A FAPERJ vem cumprindo o seu papel de estimular e financiar a recuperação da infraestrutura para pesquisa em todas as instituições científicas e tecnológicas sediadas no Estado, mas, sem qualquer dúvida, temos que ter um olhar diferenciado para as nossas universidades estaduais. A atividade finalística da FAPERJ é o fomento à pesquisa, mas a mesma estrutura necessária para o desenvolvimento da pesquisa também é utilizada no ensino e na extensão e, com isso, os investimentos realizados pela Fundação cumprem múltiplos objetivos.” Marques acrescenta que ainda há muito o que se realizar: “Desde 2007, apenas iniciamos o processo de recuperação da infraestrutura para pesquisa em nossas instituições, mas ainda há muito o que se fazer, haja vista que foram muitos anos sem o investimento necessário.”  
Confira a listagem dos contemplados:
© FAPERJ – Todas as matérias poderão ser reproduzidas, desde que citada a fonte.
 
Deixe um comentário

Publicado por em maio 17, 2011 em Uncategorized

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: